Estou com dívidas

A grande maioria da população
possui dívidas

Existem dívidas necessárias, como a que é feita para adquirir um imóvel, por exemplo, ou algum bem de maior valor, e dívidas que foram feitas por descontrole nas finanças. Esta última é altamente perigosa e prejudicial para seu futuro financeiro, pois se houve necessidade de endividamento para “corrigir” um problema, nada garante que a causa raiz daquele problema tenha sido corrigida, o que trará mais dívidas à frente, além da alta probabilidade de não honrar com a dívida primária, ou seja, aquela que foi feita para pagar outras dívidas.

front-view-plant-growing-from-coins
successfully-young-businessman-keeping-arms-raised-expressing-positivity-while-standing-outdoors

Normalmente as pessoas que estão endividadas para pagar outras dívidas, encontram-se nesse ciclo por anos e não conseguem sair dele sem ajuda profissional.

Não adianta pagar uma dívida com outra dívida, se as causas criadoras das dívidas permanecem ativas na mente e no modo de agir e pensar.

As causas que levaram à primeira dívida e, consequentemente às demais, devem ser primeiramente IDENTIFICADAS e depois corrigidas para que, só depois, seja feito um planejamento de sanitização financeira.

Acompanhamento psicoterapêutico

As crenças que, de forma inconsciente, criam limitações mentais e emocionais, precisam ser tratadas. Tais crenças funcionam como gatilho e impedem que o indivíduo se organize e alcance o crescimento financeiro. O acompanhamento terapêutico  possibilitará identificar que crenças limitantes são essas, quais suas origens e como ressignificá-las, para que você internalize pensamentos e sentimentos de acordo com uma mente próspera.

PROSPERA marca dagua 2

A PROSPERA pode ajudar em todos os momentos dessa caminhada, desde a identificação das causas, incluindo acompanhamento psicológico especializado, passando pelo mapeamento das possibilidades mais factíveis até o acompanhamento mensal do progresso do cliente.

ACREDITE, É PERFEITAMENTE POSSÍVEL
terminar esse ciclo de escassez

Aviso:
nosso número mudou.

Inscreva-se em nossa
Newsletter: